Libertarianismo, anarcocapitalismo, agorismo, utilitarismo, jusnaturalismo, capitalismo, ANCAP, minarquismo, libertário, anarcocapitalista, ciências libertárias, política, pensadores, economia, filosofia, transhumanismo
O Libertario

Se você preza pelas mulheres e crianças defenda a venda de tutela

Um assunto muito polêmico discutido entre os defensores da liberdade individual é a questão da venda da tutela dos filhos. Discute-se muito se os pais devem ou não ter a liberdade de vender a guarda de seus filhos. Eu começo aqui dizendo pelo argumento ético que sim, os pais podem vender a guarda dos seus filhos, pois a guarda é propriedade deles e tudo que é propriedade pode ser vendido, muitas pessoas não entendem esse ponto e confundem vender a tutela com vender a criança, mal calma la, a criança e a tutela são 2 coisas totalmente diferentes, a criança como qualquer ser humano é dona do seu próprio corpo, logo você não pode se apropriar dela e vender, já a tutela é apenas um pedaço de papel que lhe da o direito de cuidar e zelar pela criança, a tutela é uma propriedade dos pais, logo ela pode ser vendida. Mas não é de ética que vive um argumento, e vamos agora analisar isso pelo ponto de vista utilitário. Será que isso é ou não benéfico para os pais e para as crianças? Vamos lá.

De acordo com dados da ONU, um bilhão e meio de de pessoas, ou 30% da população mundial, vive na pobreza. Destes, 70% são mulheres. Vale lembrar também que as pessoas mais pobres são as que mais tem filhos, e aqui no Brasil os pobres tem em média de 3 a 4 filhos. Como eles não possuem condições para criá-los, 27 milhões de crianças no Brasil passam fome (dados da UNICEF). Temos um índice de pobreza altíssimo no mundo e no Brasil, além de sofrermos com o alto índice de desemprego que o Estado gera. Porém, com a venda da tutela das crianças, muitas dessas famílias sairiam da pobreza. Uma tutela provavelmente custaria uns 100 mil reais (isso é um chute comparando com um preço de um carro). Se estas famílias que possuem muitos filhos conseguissem vender a tutela de todos eles, sairiam da pobreza extrema para detentores de pelo menos 300 mil reais. Este seria o jeito mais fácil das pessoas pobres saírem da pobreza, além do fato de que a pessoa que compra a tutela de uma criança é alguém que possui condições de cria-la, logo a criança muito provavelmente teria uma saúde e educação de qualidade, coisa que ela não tinha quando morava com sua mãe biológica, isso reduziria a pobreza mundial a menos de 5% em menos de um século.

As pessoas que se opõem a essa ideia argumentam falando que qualquer louco que tivesse dinheiro poderia ter uma criança e fazer inúmeras atrocidades com ela. Isso é um erro gravíssimo, pois com a venda de tutela liberada irão surgir orfanatos específicos para venda de tutela. Estes orfanatos comprarão a tutela das pessoas mais pobres para revendê-la, e com isso formariam todo um sistema de preço dividido pela idade, sexo, cor e etnia da criança de acordo com a preferência de mercado, como já se faz hoje com animais de estimação. A tutela das crianças do sexo feminino por exemplo tenderá a ser mais cara devido ao fato dela poder engravidar. Caso por exemplo estejam vendendo mais tutela das crianças brancas do que das afrodescendentes, a tendência é aumentar o preço da tutela das crianças brancas e abaixar o preço da tutela das afrodescendentes, o que irá gerar uma demanda pela tutela de crianças negras e não afetará em quase nada as tutelas das brancas que, por serem preferidas, vão continuar sendo vendidas. E é claro, como todo orfanato faz, eles analisariam a vida de quem fosse adotar. Um orfanato que vende tutela a qualquer um que tenha dinheiro vai ser fortemente boicotado e perderá espaço na concorrência pois uma mãe não irá vender a tutela do seu filho para um orfanato que não possui zelo algum pelas crianças. Assim, só os orfanatos que agem de acordo com a ética e a moral conseguirão ter algum tipo de sucesso e lucro nesse mercado.
Resultado de imagem para crianças felizes

Outra falácia bastante utilizada é que, num cenário destes, as mães começarão a fazer filho de forma adoidada só para lucrar mais. Quem afirma isso desconhece o princípio básico da economia, a lei da oferta e da demanda. A oferta deve sempre atender a demanda e nunca ultrapassá-la. Se a oferta ultrapassa a demanda, ocorre a chamada superprodução, ou seja, as mães teriam filhos até atender essa demanda e fariam uma análise do mercado para não ultrapassá-la, evitando seu prejuízo. Muitos falam que uma pessoa pobre não tem noção alguma de economia e sequer saberia o que é lei da oferta e da demanda. Isto é outra falácia, pois a pessoa pobre pode até desconhecer termos econômicos ,mas ela sabe o básico de economia, até porque no mundo de hoje quem não nasce rico só se dá bem conhecendo esse básico. Seu José, o vendedor de arroz e feijão lá da feira, também é um cara pobre, mas ele sempre vende todos os seus quilos de alimento sem sobrar grão algum, ou seja, ele sabe qual é a demanda e faz a oferta de uma forma que possa atender essa demanda. Ele pode até não conhecer o termo demanda, mas sabe como atendê-la mesmo desconhecendo os termos.

Outro ponto que muitos ignoram é que o lucro que os orfanatos teriam seriam extremamente positivos para as crianças, pense bem, hoje em dia muitos orfanatos sofrem com a escassez de alimentos, o que faz com que as crianças passem fome la dentro, mas, caso o orfanato possa lucrar com a adoção, ele teria muito mais dinheiro para investir la dentro, consequentemente o orfanato teria uma boa estrutura, as crianças teriam o que comer, as crianças teriam quartos melhores, possivelmente teriam também aparelhos de ar-condicionado(hoje em dia elas mal tem ventilador) etc, vale lembrar que com esse lucro os orfanatos também poderiam contratar mais funcionários para cuidar das crianças, isso aumentaria o bem-estar das crianças e estaria gerando empregos para inúmeras pessoas de baixa renda, ou seja, o lucro que os orfanatos teriam beneficiariam diretamente os mais pobres.
Resultado de imagem para orfanato de luxo

Como visto acima, a venda de tutelas traz apenas pontos positivos para a criança, para os pais e para a pessoa que vai adotar essa criança. A criança pobre vai achar um lar de alguém rico ou de classe média, proporcionando-lhe uma vida digna com educação e saúde de qualidade, os pais sairão da pobreza lucrando com a venda das tutelas, a pessoa que adotou realizará seu sonho de ter um filho , o que talvez não tenha conseguido por meios biológicos, e o orfanato também sairá ganhando pois lucrará muito e terá inúmeras crianças anualmente. Então é isso. Se você luta pela vida de mulheres e crianças pobres e indefesas, defenda a comercialização da guarda das crianças. Vamos lutar para que pessoas em condições desumanas saiam dessa condição por meios mercantis.

familia-tradicional.jpg

FONTES:

REVISTA FORUM

UOL

Folha de SP

Infonet

LeiaJá

LeiaJá

A voz da Serra

Diário do Nordeste

 

Libertário individualista utilitarista
Blogueiro
Colunista do O Libertário
Youtuber
Estudante de direito
Jogo poker e xadrez nas horas vagas

Compartilhe nas redes:
Libertário individualista utilitarista Blogueiro Colunista do O Libertário Youtuber Estudante de direito Jogo poker e xadrez nas horas vagas

No comments

Deixe uma resposta

Vídeo da semana

Imposto é roubo

Anúncios

Contador

  • 75 posts
  • 2463 comments